Lecce é uma das mais belas cidades italianas, uma verdadeira pérola de arte e cultura na Itália meridional. Localizada na parte sul da Puglia (o “taco” da bota), região chamada de Salento, entre as mais visitadas da Itália graças às suas maravilhosas praias, a cidade de Lecce é uma mistura feliz de diferentes culturas e épocas: romanos, bizantinos, árabes, normandos, espanhóis – todos que por aqui passaram deixaram a sua marca de beleza e tradição. Conheça melhor as atrações mais importantes desta cidade que, pelo seu rico patrimônio, é chamada a “Florença do Sul”.

O Anfiteatro romano de Lecce

No começo do século passado, durante a reforma da praça principal da cidade, a Praça de Santo Orôncio, encontrou-se por acaso, durante os trabalhos, um edifício romano escondido embaixo do pavimento, em ótimas condições de preservação. Prosseguindo com as escavações, descobriu-se que se tratava de um anfiteatro romano (como o Coliseu de Roma), construído pelo imperador Adriano no II século d.C.: o anfiteatro, enterrado embaixo da praça e coberto por escombros, chegou assim até nós, incrivelmente bem conservado!

Anfiteatro de Lecce
Anfiteatro de Lecce. Foto: Maxcarphoto / 123RF

O que vemos hoje da imponente estrutura, que podia no passado abrigar até 15.000 espectadores, é apenas um terço do edifício original: o restante continua enterrado sob o pavimento da praça e por esse motivo não pode ser trazido de novo à luz. A sensação que se tem, vendo o belo anfiteatro romano que desponta em meio à praça principal da cidade, é de estar num verdadeiro museu a céu aberto. Um dos símbolos de Lecce, o anfiteatro oferece ainda hoje seu palco para os espetáculos e eventos mais importantes da cidade, como por exemplo o tradicional presépio vivo durante o Natal.

Anfiteatro Romano de Lecce.
Anfiteatro Romano de Lecce. Foto: izanbar / 123RF
Lecce – anfiteatro romano na Pizza Santo Oronzo. Foto: vMi.Ti. / Bigstock
Lecce – detalhe da entrada do anfiteatro romano na Pizza Santo Oronzo. Foto: Alvaro German Vilela / Bigstock.

Leia também: OSTUNI, A PÉROLA BRANCA DA PUGLIA

A Piazza Sant’Oronzo

A praça de que falávamos antes é a praça principal da cidade, que leva o nome do padroeiro de Lecce, Santo Orôncio. Cheia de lojas e cafés, é o ponto de encontro por excelência da cidade, onde seus habitantes se reúnem para conversar, passear, tomar um café ou ir às compras. Além do anfiteatro romano, a praça abriga importantes edifícios históricos que abraçam toda a história de Lecce, desde a Idade Média até os dias de hoje.

Lecce, Piazza Sant'Oronzo.
Lecce, Piazza Sant’Oronzo. Foto: Sailko – Own work, CC BY-SA 4.0 / Commons Wikimedia

Encimando a praça e quase que abraçando toda a cidade tem-se a estátua do padroeiro de Lecce, Santo Orôncio, posta sobre uma enorme coluna de quase trinta metros de altura. A história deste monumento, que é o cartão-postal da cidade, é bastante significativa: conta-se que séculos atrás, durante uma epidemia de peste que acometeu todo o Sul da Itália, Lecce foi a única cidade imune à contaminação graças à intervenção do seu santo padroeiro. Em agradecimento ao milagre, a população de Lecce resolveu dedicar a Santo Orôncio a famosa estátua para que este continuasse sempre velando pela cidade.

Banner Fabuloso Sul post blog

A Catedral de Lecce

Lecce é famosa por ser uma das cidades mais importantes em toda a Itália no que concerne o estilo barroco: pode-se dizer sem medo de exagerar que aquilo que Florença representa artisticamente para o Renascimento, Lecce o representa para o Barroco. A igreja catedral da cidade é um ótimo exemplo disto: originalmente construída em 1144, no século XVII, todavia, foi completamente reformada e re-estruturada, por ordem do bispo da cidade, segundo os ideais barrocos: adquiriu então um estilo ostensivo e luxuoso, com decorações exuberantes, feitas para impressionar e surpreender quem as vê, como é caraterístico dessa corrente artística.

Catedral de Lecce, Puglia.
Catedral de Lecce, Puglia. Foto: Ipek Morel / Bigstock
Detalhe da nave da Catedral de Lecce.
Detalhe da nave da Catedral de Lecce. Foto: Alvaro German Vilela / Bigstock

O Barroco é um estilo que gosta muito de evidenciar contrastes e contradições, e a Catedral de Lecce oferece um exemplo bastante curioso disso. A igreja, com efeito, possui duas entradas diferentes e discrepantes uma da outra: a principal, sóbria, simples e elegante; e a secundária, que lhe se opõe completamente, decorada como é suntuosamente e encimada por um majestoso arco triunfal que emoldura a estátua de Santo Orôncio. Some-se a isto o imponente campanário de cinco andares com seus 70 metros de altura e o próprio interior da igreja, com nada menos que 13 altares, todos repletos de obras-primas da pintura e da escultura, e fica fácil de entender por que Lecce é considerada por unanimidade uma das capitais do Barroco italiano.

Praça da Catedral com o campanário em destaque.
Praça da Catedral com o campanário em destaque. Foto: Gimas / Bigstock

A Basílica de Santa Croce

Típico da arquitetura barroca da cidade é o utilizo da pietra leccese, uma variedade de pedra característica de Lecce, de cor âmbar que repercute em tons de mel a luz do sol, e famosa por ser moldável a ponto de deixar-se entalhar simplesmente com uma faca. Foi com esta pedra única que boa parte dos edifícios barrocos da cidade foram erguidos; dentre os quais merece destaque, pela sua beleza extraordinária, a Basílica de Santa Croce, uma obra-prima sem-par do barroco italiano e europeu.

Fachada da Basílica de Santa Croce, Lecce.
Fachada da Basílica de Santa Croce. Foto: Gimas / Bigstock

A riqueza de detalhes e de requinte na elaboração desta igreja deixa espantados e não admira que a sua construção tenha levado nada menos que 150 anos. É fácil se perder na contemplação de todas as diversas figuras e na observação de cada mínimo detalhe que povoa a majestosa fachada da Basílica: águias, dragões, flores, santos, hipogrifos, lobos e até mesmo estátuas de alguns turcos que sustentam curvados o peso do friso da Igreja, em celebração da vitória da Cristandade contra os Otomanos. Ao centro uma enorme rosácea, decorada de anjos e flores, completa a exuberância da fachada, merecidamente uma das mais famosas em toda a Itália. Justamente neste ano, após anos de apurada restauração, a fachada voltou a ser exibida ao público: não perca a oportunidade de vê-la de perto em todo o seu renovado esplendor.

Detalhe da rosácea da Basílica de Santa Croce, Lecce - Puglia.
Detalhe da rosácea da Basílica de Santa Croce. Foto: Gimas / Bigstock
Basílica de Santa Croce, Lecce - Puglia.
Parte interna da Basílica de Santa Croce. Foto: Alvaro German Vilela

Leia também: ALBEROBELLO (PUGLIA), A CAPITAL DOS TRULLI

A Culinária de Lecce

Para concluir, não podíamos deixar de falar da culinária do Salento. É verdade que na Itália come-se bem onde quer que se vá, mas a cozinha de Lecce é um daqueles casos particularmente famosos mesmo no panorama italiano. Não deixe de saborear alguns de seus pratos típicos como o rustico leccese, recheado de mozzarella, tomate e noz moscada; ou o ciceri e tria, prato de macarrão frito com grão-de-bico muito amado na Puglia; ou então a puccia, espécie de sanduíche recheado com a famosa azeitona negra do Mediterrâneo.

Ciceri e trìa, prato típico de Lecce.
Ciceri e trìa, prato típico de Lecce. Foto: fanfon / Bigstock

Quanto aos doces, não deixe de provar o pasticciotto leccese, doce típico da cidade, e tantas outras gostosuras feitas com a maravilhosa pasta de amêndoas, que foi trazida ao Sul da Itália na Idade Média pelos árabes.

Pasticciotto leccese - Lecce.
Pasticciotto leccese Foto: Sabino Parente / Bigstock

Enfim, não perca a oportunidade de experimentar também os diversos tipos de vinho produzidos na região do Salento e que se encontram facilmente nas adegas passeando pela cidade. Os habitantes de Lecce são justamente orgulhosos da própria tradição culinária e, de fato, em poucos outros lugares da Itália come-se tão bem gastando-se tão pouco como aqui.


Por Yuri Borges Loyola
Foto de capa: Centro histórico de Lecce, Puglia – Sopotniccy / Bigstock

Banner Fabuloso Sul post blog