5 lugares que você precisa conhecer no Sul da Itália

Por Adrian Theodor | Atualizado em 12/09/2018

Para além da diversidade deliciosa das famosíssimas pizzas de Nápoles, da Mozzarella di Bufala da Calábria ou do Limoncello da Costa Amalfitana, o Sul da Itália, a antiga Magna Grécia, impressiona o viajante tanto pela grandiosidade de seus monumentos históricos, quanto pela exuberância de suas belezas naturais.

O Sul da Itália é atualmente composto pelas regiões da Campânia, Puglia, Basilicata, Calábria, Sicília, Molise e Parte de Lazio. Regiões que, de tão diversas, surpreendem mesmo os aventureiros mais experientes. Aqui, destacamos 5 visitas que não podem faltar no seu pacote de viagem se está pensando em conhecer o Sul da Velha Bota.


1. Nápoles

Vista panorâmica de Nápoles, Campânia - Sul da Itália. Foto: Jakobradlgruber / 123RF

Vista panorâmica de Nápoles, Campânia – Sul da Itália. Foto: Jakobradlgruber / 123RF

Conheça a típica pizza de Nápoles na Pizzeria Brandi, próxima à Prefeitura. Ou almoce no simpático Ristorante Ciro dal 1936, no vilarejo de pescadores de Castel dell’Ovo. Ou observe a romântica Baía de Nápoles das janelas do La Cantinella, que mistura a tradicional cozinha napolitana com toques de modernidade e personalidade única.

Porém, não deixe de conhecer o que Nápoles tem para oferecer de melhor, sua história. Após caminhar pela Via Cristóvão Colombo e admirar a orla marítima, encontre no centro da cidade um guia especializado e visite os principais pontos turísticos da cidade. Não deixe de conhecer o Castel Nuovo (ou Castelo Maschio Angioino), construído na Idade Média e que já foi residência real, centro produtor de obras de arte e forte militar.

Castelo medieval de Maschio Angioino ou Castel Nuovo, Nápoles - Sul da Itália. Foto: Lachris77 / 123RF

Castelo medieval de Maschio Angioino ou Castel Nuovo, Nápoles – Sul da Itália. Foto: Lachris77 / 123RF

Dê uma volta pelo Ilhéu de Magáride e visite o Castel dell’Ovo, o mais antigo de Nápoles, e o Museu Arqueológico, que te mostrará desde a história das ocupações greco-romanas na Itália, até o misterioso Gabinete Secreto, fechado para o público durante o período fascista e hoje plenamente aberto para visitações.

Castel dell'Ovo, Nápoles - Sul da Itália. Foto: Leopoldo Marino / 123RF

Castel dell’Ovo, Nápoles – Sul da Itália. Foto: Leopoldo Marino / 123RF

2. Pompeia

É praticamente impossível dissociar a visita à Pompéia de sua relação com a erupção do vulcão Vesúvio, em 79 d.C. Uma das maiores tragédias naturais da Antiguidade transformou a cidade em um dos mais famosos sítios arqueológicos do mundo. A associação entre a grandiosidade da erupção vulcânica do Vesúvio, a vasta extensão da massa de poeira e enxofre que assolou a cidade e a cobertura dos habitantes por profundas camadas de lama, permitiu que Pompéia conservasse com muita precisão a história do acidente geológico, permitindo ao visitante uma visão praticamente exata da sucessão de eventos que levou ao fim da cidade até então dominada pelos romanos. Sua importância histórica e arqueológica levou à UNESCO a declarar Pompéia como um dos patrimônios da humanidade.

Ruínas de Pompeia - Sul da Itália. Foto: Scaliger / Bigstockphotos

Ruínas de Pompeia – Sul da Itália. Foto: Scaliger / Bigstockphoto

3. Ilha de Capri e Costa Amalfitana

Verdadeiras pedras preciosas da costa do Mediterrâneo, a Ilha de Capri e a Costa Amalfitana são passagens obrigatórias se você está visitando o sul da Itália. Estão entre os destinos turísticos mais procurados por viajantes do mundo todo, seja por suas belezas naturais, ou por sua importância histórica.

Ilha de Capri, Campânia - Sul da Itália. Foto: Bloodua / 123RF

Ilha de Capri, Campânia – Sul da Itália. Foto: Bloodua / 123RF

Na Ilha de Capri, não deixe de visitar a Gruta Azul. Deixe-se guiar por um barqueiro experiente, em um barco à remo, e explore uma caverna formada naturalmente sob a ação erosiva e com entrada de apenas um metro de altura e dois de largura. Você vai se surpreender com a água azul, cristalina, e os reflexos prateados nas “paredes”. Mas lembre-se: a entrada na gruta depende das condições climáticas de cada dia. A condição dos ventos e do nível da maré podem tornar impossível a visitação.

Gruta Azul, Capri - Campânia - Sul da Itália. Foto: Casadaphoto / Bigstockphoto

Gruta Azul em Capri – Campânia – Sul da Itália. Foto: Casadaphoto / Bigstockphoto

 

Gruta Azul em Capri, Campânia - Sul da Itália. Foto: Domenico Landolfo / Flickr

Gruta Azul em Capri, Campânia – Sul da Itália. Foto: Domenico Landolfo / Flickr

Não deixe de conhecer também a Costa Amalfitana, em suas belas Amalfi, Positano e Ravello. Para saber mais, leia nosso review no blog: http://www.cenciturismo.com.br/costa-amalfitana/.

Amalfi na Costeira Amalfitana, Campânia - Sul da Itália. Foto: Janos Gaspar / 123RF

Amalfi na Costeira Amalfitana, Campânia – Sul da Itália. Foto: Janos Gaspar / 123RF

4. Matera

Na região da Basilicata, Matera é uma das cidades mais antigas do mundo. Menos famosa do que Pompéia, por exemplo, guarda em seu território uma completa aula de história. Formada desde a Antiguidade, o burgo foi escavado em rochas calcárias, formando ruas estreitas e, para o visitante incauto, aparentemente de modo caótico e labiríntico. Porém, o fato é que as construções em Matera são belíssimas cavernas construídas ao longo de séculos, formando uma obra prima da Arquitetura Espontânea. Até mesmo igrejas bizantinas podem ser visitadas esculpidas no relevo, com obras de arte que, além de belas, marcam a história da Itália. Isso sem contar a Gravina de Matera, cânion formado por ação da erosão, no centro da Comuna, e que oferece uma das vistas mais marcantes de sua visita ao Sul da Itália.

Vista panorâmica de Matera, Basilicata - Sul da Itália. Foto: Jennifer Barrow /123RF

Vista panorâmica de Matera, Basilicata – Sul da Itália. Foto: Jennifer Barrow /123RF


5. Puglia – Sul da Itália

Não é muito comum conhecer turistas brasileiros que já visitaram ou pensaram em visitar esse tesouro localizado no salto da bota que forma a Itália. Mas, se o seu objetivo é conhecer o Sul da Itália, não pode deixar a Puglia de lado. Separe em seu roteiro pelo menos dois ou três dias para passear por Polignano a Mare, um penhasco magnifico sobre o cristalino Mar Adriático; Alberobello, observando atentamente a arquitetura simples, porém de enorme significado histórico dos Trulli, construídos desde o século XV, por agricultores locais; Ostuni, e suas casas brancas de cal, construídas de modo que a cada janela você conseguirá ver a magnitude azul do Adriático; e Lecce, a Florença do Sul, a Senhora do Barroco, que mistura arquitetura e monumentos históricos de seu antigo Domínio Romano e da formação posterior da Arte Barroca.

Alberobello, Puglia - Sul da Itália. Foto: Freeartist / 123RF

Alberobello, Puglia – Sul da Itália. Foto: Freeartist / 123RF

 

Polignano a Mare, Puglia - Sul da Itália. Foto: Polig Jovannig / 123RF

Polignano a Mare, Puglia – Sul da Itália. Foto: Polig Jovannig / 123RF

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar