Tudo sobre os patrimônios da humanidade na Itália (parte 3)

Dicas Cenci - 22/01/2020

Por Daniel Cury

Foto de capa: Cristina Gottardi (Unsplash)

Já chegamos à parte 3 da nossa lista de sítios considerados patrimônios da humanidade na Itália. Você ainda vai ver a continuação em mais partes, afinal, estamos falando do país campeão em lugares considerados de importância histórica inigualável pela UNESCO.

Leia sobre a parte 1 aqui.

Confira a parte 2 aqui.

1- Centro Histórico de Nápoles

Castel dell’Ovo – Foto: Luca Aless (Wikipedia)

A região central da capital napolitana remonta o ano de 470 a.C., quando foi reestabelecida pelos gregos. Por ser uma das cidades mais antigas da Europa, suas ruas e monumentos trazem à tona diversos períodos, a começar pelo desenho das ruas de sua região central. Além de ter sido o principal ponto de conexão entre Itália e Grécia, fato que fez da cidade o centro da transmissão da cultura grega para a sociedade romana, Nápoles também foi conquistada pelos Bizantinos, o que também trouxe diversas influências culturais e arquitetônicas. Entre os principais locais do centro de Nápoles estão as Igrejas de San Gennaro e de San Giorgio Maggiore, o Castelo dell’Ovo, as basílicas de Santa Chiara e de San Lorenzo Maggiore. Algumas construções mais recentes, que remontam o século XVIII, são o teatro San Carlo, os palácios Capodimonte e Fuga, e o Foro Carolino na praça Dante.

Leia também NÁPOLES, 5 LUGARES PARA VOCÊ VISITAR

2- Centro Histórico de Roma, Propriedades da Santa Sé e Basílica de São Paulo Extramuros

Basílica de São Paulo Extramuros – Foto: Berthold Werner (Wikipedia)

Considerado um único grande sítio da lista de patrimônios históricos da humanidade, este compreende prédios famosos e conhecidos por todos nas imagens que simbolizam a Itália e sua capital. As propriedades papais foram instituídas em 1929 como espaços de soberania do Vaticano, seguindo regras similares às de embaixadas. Portanto, sítio todo compreende não apenas o Foro Romano, o Coliseu, Castel Sant’Angelo, Piazza Navona e Piazza di Spagna, por exemplo, mas os territórios que pertencem ao Vaticano mesmo estando fora dele, como a Basílica de Santa Maria Maggiore, o Palazzo Pio, a Arquibasílica de São João de Latrão, entre muitos outros.

3- Centro Histórico de San Gimignano

San Gimignano – Foto: Michelle Maria (Pixabay)

A cidade de San Gimignano, que fica a 56 km de Florença, ganhou destaque ao longo dos séculos por ser um ponto de parada em peregrinações a Roma pela Via Francigena, antiga rota que conectava a capital italiana a outras regiões europeias e era utilizada pelos católicos na Idade Média. Entre os séculos XI e XIII a cidade ganhou diversas torres, que eram construídas pelas famílias mais ricas do local. Das mais de 70 torres construídas ao longo desse período, hoje restam apenas 14, que continuam sendo responsáveis por dar à cidade os ares medievais que fazem o charme do local. Prédios públicos e a Catedral da cidade ainda são responsáveis por grandes obras de arte dos séculos XII, XIII e XIV.

4- Centro Histórico de Siena

Siena – Foto: Pedro Lastra (Unsplash)

Outro centro histórico considerado patrimônio da humanidade pela Unesco é o de Siena. Segundo o site da Unesco, o que faz de Siena tão importante são as características urbanas e arquitetônicas, as obras artísticas espalhadas pela cidade e a evolução constante do local, que foi muito bem preservado ao longo dos séculos. O destaque vai para o estilo gótico presente em diversas construções, incluindo os becos cobertos por arcos.

5- Centro Histórico de Pienza

Piazza Pio II, Pienza – Foto: Rossano Valeri (Pixabay)

Leia também PIENZA: A CIDADE IDEAL DE PIO II

A cidade de Pienza fica a 55 km de Siena e também tem um centro histórico considerado patrimônio da humanidade. A cidade toscana é um dos pontos mais importantes do período do Renascimento, especialmente porque o Papa Pio II decidiu transformá-la fisicamente. O motivo é muito simples: trata-se do local de nascimento do então líder da Igreja Católica, em 1459. A iniciativa fez com que Pienza se tornasse, por meio do projeto do arquiteto Bernardo Rossellino, o primeiro exemplo de transformação urbana com base nos conceitos renascentistas. Entre as construções de destaque do centro da cidade estão a Piazza Pio II, o Palácio Piccolomini e a Catedral de Pienza.

6- Centro Histórico de Urbino

Palazzo Ducale, Urbino – Foto: Valter Cirillo (Pixabay)

O último centro histórico da lista é o da cidade de Urbino, que fica na região das Marcas, a pouco mais de 100 km da Perúgia e 45km de San Marino. Charmosa ao extremo, a cidade murada se destaca pela influência artística que recebeu no século XV, incluindo Rafael Sanzio, natural da cidade — e que conta com um museu dedicado a ele nos dias de hoje. No mesmo período, a cidade conseguiu atrair os mais importantes artistas de sua época. Os principais destaques do sítio considerado patrimônio histórico são o Palazzo Ducale, as igrejas de San Bernardino e San Domenico e o Palazzo Boghi.

7- Ilhas Eólias

Vista da ilha de Vulcano, Ilhas Eólias – Foto: Wikipedia

Também conhecidas como Ilhas Lipárias, o arquipélago que fica ao norte da Sicília se destaca por sua importância natural. Afinal, são formadas pela atividade vulcânicas e desde o século XVIII são estudadas por geólogos, tornando-se ponto de partida para muitos estudos desta ciência. O arquipélago todo conta com uma população de 12 mil habitantes, bem como dois vulcões ativos. Na mitologia grega, o local é guardado pelo deus Éolo, guardião dos ventos e responsável por ajudar Ulisses (ou Odisseu) a voltar para casa no poema épico da Odisseia.

8- Cidades do Barroco Tardio do Val di Noto

Igreja Madre S. Nicoló, Militello Val di Catania – Foto: Wikipedia

No sudeste da ilha da Sicília, oito cidades se destacam como patrimônio da humanidade: Caltagirone, Militello Val di Catania, Catania, Modica, Noto, Palazzolo, Ragusa e Scicli. Todas elas, que ficam na região chamada de Val di Noto, se destacam por terem sido totalmente reconstruídas após sofrerem com o grande terremoto que ocorreu em 1693. O período em que isso ocorreu deu às pessoas a oportunidade de utilizar o estilo barroco como base. Algumas das cidades, como Catania e Scicli, tiveram apenas algumas regiões reconstruídas, enquanto Caltagirone, Noto e Ragusa foram completamente replanejadas. Modica e Palazzolo, no entanto, tiveram apenas alguns monumentos que precisaram ser reconstruídos.

9- Lombardos na Itália: Locais do poder (568–774) 

Templo de Clitunno, Campello sul Clitunno – Foto: Olivia Notter (Flickr)

Com este nome oficial, a Unesco uniu em um único ponto da sua lista de patrimônio da humanidade um conjunto de mosteiros, igrejas e fortalezas espalhados pela península itálica. Todos eles foram construídos pelos lombardos, povo germânico que se estabeleceu na região a partir do século VI. Os locais se espalham por diversas regiões da Itália e representam toda a vastidão da ocupação dos Lombardos nos primeiros séculos da era cristã. Na lista de construções, que conta com sete localidades distantes umas das outras até cerca de 1.000 km, estão:

  • A área Gastaldaga e o complexo episcopal em Cividale del Friuli;
  • A área monumental do fórum romano e o complexo monástico de São Salvador-Santa Júlia na Bréscia;
  • A Basílica de São Salvador em Espoleto;
  • O Santuário de São Miguel Arcanjo em Monte Sant’Angelo;
  • O castro com a Torre Torba e a Igreja de Santa Maria Fora dos Portões, em Castelseprio;
  • O Templo de Clituno na cidade de Campello sul Clitunno;
  • O complexo de Santa Sofia, em Benevento.

10- Mântua e Sabbioneta

Piazza Ducale, Sabbioneta – Foto: Davide Papalini (Wikipedia)

Para finalizar a lista de hoje, nada melhor que as graciosas cidades da Lombardia, no vale do Pó. Ambas representam o melhor dos aspectos de planejamento urbano do Renascimento: enquanto Mântua é marcada por ter sido uma cidade preexistente que foi estendida com os princípios renascentistas (com marcas do período romano, medieval e barroco), a cidade de Sabbioneta é um marco do planejamento da cidade ideal para os arquitetos de sua época, já que foi totalmente construída na segunda metade do século XVI. Enquanto Sabbioneta conta com construções como o Palazzo Giardino, Palazzo Ducale e seu Teatro Olímpico, Mântua se destaca pela Piazza delle Erbe, Palazzo Vecchio, Palazzo Nuovo e a Torre do Relógio.

EXPLORE AINDA MAIS A ITÁLIA COM ESTES PASSEIOS INCRÍVEIS


Receba promoções e novidades antes de todo mundo!