A torre, conhecida em todo o mundo, é um dos símbolos da Itália, juntamente com o Coliseu.

Inserida em um contexto maravilhoso, na Piazza Campo dei Miracoli (Patrimônio da Humanidade), a Torre de Pisa, com sua inclinação de 3,97 graus, transmite a sensação de que irá cair a qualquer momento e desperta o interesse de milhares de turistas curiosos, que permanecem encantados e fascinados pela singularidade e estranheza de um dos monumentos mais belos do mundo.

Vista da torre inclinada e a Catedral de Pisa.

A construção da Torre de Pisa

A construção da torre teve inicio em 1173 e foi concluída em 1350. Com 56 metros de altura, oito andares e sete sinos, foi projetada com a função de campanário da Catedral de Pisa, dedicada à Santa Maria Assunta.

A Torre, construída em um terreno argiloso e arenoso, parece que começou a inclinar-se ao final da construção do terceiro andar, de modo que tiveram que suspender os trabalhos, que foram retomados alguns anos depois, com a construção dos andares sucessivos com uma curvatura em sentido contrário à inclinação.

Alguns estudiosos atribuem o projeto original ao arquiteto italiano Diotisalvi, que, no mesmo período, também estava construindo o Batistério ao lado da Catedral.

Detalhe do topo da Torre de Pisa

A estrutura da Torre de Pisa

A estrutura da torre é composta por dois cômodos: um na base da torre, conhecido como a Sala do peixe, tendo na parte interna um baixo-relevo que descreve um peixe; o outro no topo da estrutura, no sétimo anel, onde foram instalados sete sinos, os quais levam os seguintes nomes: Assunta (o maior, que pesa 3620 kg), Crucifixo, San Ranieri, Dal Pozzo, Pasquereccia, Terza e Vespruccio. Os sinos soam ainda hoje antes das missas na Catedral e ao meio dia, através de um sistema eletrônico. Antigamente cada um tocava em um dado momento durante o dia litúrgico. O sino Pasquareccia, o mais antigo, foi originalmente chamado de Justiça e ficava no Palácio da Justiça, sendo que era usado para alertar sobre a morte dos traidores.

Para subir até o topo da torre precisa percorrer uma estreita escada caracol. Para fazer essa visita, no entanto, é melhor garantir seu ingresso com antecedência, sobretudo no período da alta temporada do turismo, pois o número de visitantes por dia, divididos em pequenos grupos, é limitado. Se você chegar sem reserva, portanto, corre o perigo de ter que esperar por mais de duas horas, ou até de não achar mais vaga.

Detalhe do Batistério, outro prédio do complexo arquitetônico em que a torre faz parte