fbpx

Ferrovia Rética – Paisagens inesquecíveis da Itália para a Suíça

Pontos Turísticos - 02/09/2017
Por Adrian Theodor

Já é de conhecimento comum aos turistas brasileiros o fato de que o transporte ferroviário na Europa é um dos mais modernos e eficientes do mundo. Dos viajantes experientes aos novatos, todos sabemos, mesmo que apenas “de ouvir falar”, das inúmeras possibilidades em se cruzar o continente sobre trilhos.

Todavia, para além do simples transporte de passageiros, o território europeu oferece trajetos em que o cenário da viagem de trem pode ser o próprio ponto turístico.

Um grandioso exemplo disso, são as linhas pertencentes ao sistema da Ferrovia Rética, construída a partir do século XIX pelo holandês Willem-Jan Holsboer, e que hoje circundam os territórios da Suíça e parte da Itália. Neste complexo férreo, é possível não apenas se locomover de um ponto a outro, mas sim aproveitar o próprio caminho como parte da apreciação turística. Aqui, aquela máxima de que o que importa é o trajeto, e não o ponto de chegada, ganha uma nova dimensão.

São infinitas as opções para se realizar um passeio especial pela Ferrovia Rética, mas as chamadas “rotas cênicas” dos trens suíços estão divididas em 7 principais linhas buscadas por turistas do mundo todo: Glacier Express, Bernina Express, GoldenPass Line, Guilherme Tell Express, Palm Express, Pre-Alpine Express e RegioExpress Lötschberger. Todas elas marcadas por características próprias e dotadas de paisagens inesquecíveis em seu destino europeu. Entretanto, destacaremos neste roteiro três desses trajetos extraordinários. Sairemos do território italiano, adentrando o máximo possível a Suíça, a partir dos Alpes.

Dica: o foco deste roteiro está em mostrar os pontos turísticos específicos do trajeto das linhas de trem. Mas nada o deve impedir de aproveitar o passeio para inserir em seu roteiro pontos de visitação a cada parada dos trens. Nosso lema sempre é aproveitar o máximo possível de cada viagem.

Bernina Express

Saindo de Tirano, na Itália, a apenas alguns quilômetros de Lugano, na Suíça Italiana, a Linha de Bernina te levará numa intensa subida até os Alpes Suíços, com destino a St. Moritz, Davos ou Chur.

Dica: Passe um dia de seu roteiro em Lugano. Você pode tomar um ônibus de três horas a partir da estação de trem em Tirano. No trajeto, é possível avistar o Lago Como e o Lago de Lugano. E, claro, terá a oportunidade de conhecer este charmoso pedaço da Itália na fronteira com a Suíça.

Vista panorâmica do Lago Lugano

Este trajeto é recomendado no verão, durante o dia, principalmente no sentido Itália-Suíça, pois a subida perde a razão turística na parte da noite e, no inverno, o sol se põe cedo na região. O trajeto de Tirano a Saint Moritz, o mais comum, leva um pouco mais de duas horas para ser completado.

Neste trecho, tombado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO (incluindo as vilas e pequenas cidades ao entorno da via), você poderá contemplar a beleza imutável dos Alpes, cobertos de neve mesmo na estação mais quente. A percepção de que, em meio à contínua transformação do mundo pós-moderno, os Alpes permanecem estáveis e resistentes ao tempo, me trouxe profundo sentimento de serenidade. Rever as fotografias deste trecho em específico da travessia é sempre uma memória segura da permanência em meio ao efêmero absoluto do cotidiano.

Trenino Rosso nos Alpes

Outro trecho de destaque fica na estação Ospizio Bernina, o ponto mais elevado de todo o trajeto, a 2.256 metros acima do nível do mar (a estação mais elevada de toda a Europa), onde o Trem passa bem próximo da margem do Lago Bianco. O espetáculo proporcionado pela força da natureza neste segmento é também de tirar o fôlego. Dá vontade de descer ali mesmo e permanecer contemplativo por horas a fio.

Há duas opções para este trajeto. Ou você reserva com antecedência um lugar em um dos vagões panorâmicos, dotados de enormes janelas de vidro, que permitem visão extremamente ampla da parte externa. Ou pode viajar nos trens comuns, nos quais não é possível fazer reserva, mas são bem mais baratos. No verão, inclusive, existem vagões abertos, que permitem boa visibilidade dos cenários belíssimos dos Alpes. Assim, ou você fará o circuito de Tirano a Saint Moritz sem paradas ou baldeações, ou poderá parar a cada estação ao longo do caminho.

Visite o site oficial da companhia e se lembre da nossa dica de sempre: planeje com antecedência sua viagem. Consulte as condições do tempo antes de organizar o roteiro, principalmente se o seu objetivo for também visitar as cidades próximas à linha expressa.

Glacier Expess

O longo caminho do “Expresso Glacial” é o mais conhecido quando se tratam dos trens panorâmicos dos Alpes Suíços. É também o mais demorado. Todo o percurso, de Saint Moritz a Zermatt, dura mais de sete horas.

Trem do Glacier Express

Mas não se assuste! Compre a passagem com antecedência pelo site oficial da companhia e tenha a oportunidade não apenas de visitar os pontos naturais mais incríveis da Suíça, como também de almoçar a bordo de um dos trens mais confortáveis da Europa.

Dica: Escolha fazer este trajeto no verão, quando os dias são mais longos e a possibilidade de tempo aberto é maior. A viagem é bastante longa para correr o risco de tempo nublado. Não esmoreça sob as dificuldades em fotografar a paisagem. O reflexo dos raios solares nas imensas janelas panorâmicas do trem será parte do desafio deste roteiro.

Seu caminho será decorado por montanhas, pequenos rios refletindo o branco da neve de seu entorno e vilarejos tirados de um verdadeiro romance bucólico do século XIX. Passará pelo túnel de 42 quilômetros de Lötschberg. E fará uma parada especial na Comuna Suíça de Disentis/Mustér (depende se prefere a pronúncia em alemão ou romanche). Não será possível conhecer muito deste território, porque a parada é rápida, entre vinte minutos e meia hora, mas já terá a oportunidade do contato com o território suíço e o dialeto Romanche, preservado aqui desde sua formação histórica, ainda na Antiguidade.

Vista panorâmica de Disentis

Mas é o trecho de Saint Moritz a Chur que faz da Glacier a estrada de ferro mais conhecida do mundo. A Passagem de Albula, trecho da Ferrovia Rética que é Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, também presente no caminho de Bernina, possui as famosas pontes em arco, construções impressionantes mesmo para os engenheiros e arquitetos mais experientes.

Passagem de Albula

GoldenPass Line

Assim como nas duas dicas anteriores, este é uma composição férrea que precisa ser reservada com antecedência, pois possui lugares marcados e atendimento especial.

A Linha GoldenPass é formada por três estradas de ferro diferentes, conectadas entre si. O trecho de Montreux a Zweisimmen; de Zweisimmen a Interlaken Ost; e de Interlaken Ost a Lucerna, já no coração da Suíça.

Dica: Lembramos, mais uma vez, que a atenção principal deste roteiro são os trajetos específicos de trem. Porém, cada uma dessas paradas proporcionadas pela GoldenPass é uma nova oportunidade de turismo em sua viagem. Montreux, Zweisimmen, Interlaken Ost e Lucerna são pontos obrigatórios na Suíça. Principalmente Interlaken Ost, balneário acessado por turistas do mundo todo!

Faça uso dos vagões especiais, reservados antecipadamente, da GoldenPass Line. É por aqui, nesses carros vip, que está a diferença da linha em relação às comuns da Suíça, que servem aos passageiros do dia. Especialmente adaptadas para o turismo internacional, oferecem atendimento especial e visão panorâmica. É possível, inclusive, ficar na primeira cabine, e desfrutar de uma visão externa igual à do maquinista.

Vagão especial do GoldenPass Line

Particularmente, o que considerei mais impactante na paisagem de Montreux a Interlaken Ost, é que ela muda drasticamente. Dos vales da saída, às montanhas do ponto de chegada deste trecho longo (após a transição de Zweisimmen a Interlaken Ost), a paisagem passa do urbano ao rural, em um percurso de mais ou menos três horas.  Você será capaz de enxergar tanto a cidade de cima, quanto os vinhedos, montanhas e pastos verdejantes. Tudo na mesma viagem!

Já de Zweisimmen a Interlaken Ost, chama atenção a visão que surge do Lago Thun, incrível ao refletir a luz do sol por entre as montanhas.

Vista panorâmica do Lago Thun

De Interlaken Ost, mais uma troca de trens. E, enfim, o destino final até Lucerna, na Suíça Alemã. O trem sai do vale da região dos lagos suíços e passa a subir mais uma vez os Alpes. De novo, chama atenção a mudança de paisagem, mas agora do vale aos picos nevados. Em todo o trajeto, a natureza se impõe, condição de existência, exuberante e nova, para quem está sempre acostumado ao urbano como comum, aos tons de cinza do concreto como a cor predominante. Neste trecho você poderá observar o Monte Pilatus, símbolo mítico de Lucerna; o Lago Lungern, cenário movimentado para a pesca esportiva local; e a distinta cidade de Meiringen, com suas cachoeiras Reichenbach, visitadas por Sir Conan Doyle, autor de Sherlock Holmes.

Monte Pilatus

EXPLORE AINDA MAIS A ITÁLIA COM ESTES PASSEIOS INCRÍVEIS


Dicas Cenci

Receba promoções e novidades antes de todo mundo!
Whatsapp
Precisa de ajuda? Atendimento por WhatsApp

Atendemos de segunda a sexta, das 09h00 às 18h00

Clique para iniciar o atendimento